sexta-feira, março 21, 2003

"Minha alma é feita de luz e trevas; nada de brumas. Ou faz bom tempo ou há temporal; as temperaturas variáveis são de pouca duração." (Victoria Ocampo)

cometido pela arale -

pípol

o sistema de comments tava dando pau e eu dei uma acertada, mas ele acabou comendo todos os comentários anteriores. por favor, comentem de novo!!!

cometido pela arale -

 

quinta-feira, março 20, 2003

amor quer sorrir e quer surpresa. quer tempo e carinho. quer massagerm, cafuné e ócio. quer dormir no colo, passear de mãos dadas, olhar em silêncio nos olhos, apresentar aos amigos, se doer. lembrar do cheiro da primeira vez, passar perfume, maquiagem, roupa nova, cartas de amor, flores, velas. sonhos conjuntos, planos, viagens, romance, conquista, sedução, entrega, verdade. quer ser importante, quer o primeiro, segundo, quintal e quarto. saliva, suor, cabelo sujo, mãos grandes, proteção, vontade, expressão e compreensão. corpo, alma e espírito. e doação. doar é se agradar. e amar intensamente como se fosse o último dia. ou o primeiro amor.

cometido pela arale -

guerra

sabe o que me irrita? é esse discursinho engajado-de-momento de "ah, estamos em tempo de guerra". estamos é o caralho! e houve -- que alguém possa me dar um exemplo por favor -- algum tempo de "não-guerra" nesse nosso mundo, na humanidade? desde que vim pra esse mundo e me reconheço como gente há guerra no oriente médio, guerra em tudo que é lugar. país daqui apoiando país dali, guerra de gangue, guerra de favela, guerra de moleque de rua, guerra de paz, guerra da puta que o pariu. e todos nós continuamos comendo nos mesmos restaurantes e comentando os assuntos da moda, e trepando, e inventando meios de nos sentirmos menos culpados e achar nosso lugar no meio desse mundo maluco.

aí, por conta do bombardeio (desculpem a piadinha infame) da mídia em cima da guerra, porque afinal, oh, são os estados unidos, e oh, eles têm bomba atômica (e a índia não tem?) e eles têm isso e aquilo -- tudo aliás que todo mundo tem e sempre teve, até porque os próprios vendem pra galera -- e a ONU, e oh, meu deus, o mundo está violento, e as pessoas não se amam, e vamos nos unir pela paz e...

e? e no trânsito o fulano que é contra a guerra caga e anda pro moleque no sinal, e trata sua mulher como cachorro; e no trabalho, a secretária não dá recado da namorada pro fulaninho, e seu amigo não te liga nunca porque tá muito ocupado com a própria vida, e amanhã, quando ou bagdá for destruída ou o bush se ligar e a mídia parar de colocar notícia 24h/dia sobre isso, os artistas de hollywood pararem de fazer campanha na rua, a gente esquece o que é guerra, enquanto as guerras de todo dia continuam.

guerra virou evento, hype, motivo pra camiseta e pra passeata de desocupados que querem achar brecha pra expiar sua culpa por não saberem qual sua função no mundo. esquecemos o dia-a-dia, as coisas que podemos fazer nesse infinitésimo de segundo pra que o mundo seja DE FATO mais legal. e não falo de ação social, porque eu acho que ação social de cu é rola. falo de vida, de convivência, de família, de amizade, de sorrir pro seu porteiro e de dizer pro cara que eu amo que eu o amo.

quero que o bush se foda. quero que o saddam se foda. quero que os engajados-de-momento se fodam. que venham falar de paz quando a guerra deixar de ser notícia, que pratiquem o amor e as coisas boas no seu microcosmo, e aí sim eu vou ter algum respeito.

falei?

cometido pela Zel -

não, isso não é uma photo-shopada


cometido pela arale -

gorfo-hipocondria: se você gosta do seu esôfago, JAMAIS tome drogas legais em cápsula a seco.

cometido pela arale -

 

quarta-feira, março 19, 2003

paradoxo: existe falta de coragem pra fugir?

cometido pela arale -

loura sim, burra, nem pensar... (só com um pouquinho de tédio)


cometido pela arale -

da série coisas que eu execro...

... ironia malfeita;
... emoticons sorrindo quando o conteúdo da mensagem é agressivo;
... abreviações do tipo "blz";
... mudernos e udigrudis semi-analfabetos;
... textos prolixos e ao mesmo tempo sem conteúdo;
... recados muito mal-disfarçados, como esse aqui :P

**

ou há três tipos de pessoas: as que sabem contar e as que não sabem contar.

cometido pela Zel -

inauguração da série maldades herméticas

pra ela, muito prozac; pra ele, cegalla na cabeça.

cometido pela Zel -

eu sou chata e crítica. não engulo sapo de ninguém de graça, já chega os que sou obrigada a engolir por falta de opção. digo o que penso e estou aberta à discussão, inclusive pra admitir quando estou errada, sempre. quem convive comigo sabe. por isso coleciono gente que me detesta, uns porque não conseguem argumentar, outros porque não conseguem separar as posturas políticas e críticas do lado pessoal. mas o mais engraçado, chega a ser covardia, é ver os desafetos perdendo a paciência e falando bobagem. recomendo o michaelis, muito bom pra esses momentos de nervosismo-descontrol.

cometido pela arale -

when I carefully consider the curious habits of dogs
i am compelled to conclude
that man is the superior animal.

when i consider the curious habits of man
i confess, my friend, i am puzzled.

(meditatio, ezra pound)

cometido pela Zel -

uui, que delícia de foto!


cometido pela arale -

"de que adianta arranjar treta comigo
se sou inimigo do seu inimigo
estamos todos por baixo das mesmas garras
das mesmas garras"

cometido pela arale -

"mantra raivoso - aquele que discorda de mim é meu inimigo. aquele que não me entende é meu inimigo burro."

mandou bem.

cometido pela arale -

 

terça-feira, março 18, 2003

ninguém segura a juventude do brasil!

e o mais interessante disso tudo é que falar contra é pecado mortal. as pessoas não argumentam, se defendem atacando ou sendo ufanistas risíveis. quanto mais penso mais vejo semelhanças entre essa esquerda-terceiro-setor com os evangélicos dogmáticos. é uma doutrina onde não é possível questionar, não há espaço pra troca com alguém que não concorda. e a proximidade com a religião não pára por aí. vejo muita gente fugindo de suas realidades pra se dedicar à "caridade". pessoas que passam a maior parte da vida vivendo de amor ao próximo e esquecendo o próximo que dorme sob o mesmo teto. pessoas de boa vontade e mal resolvidas, que esquecem valores básicos como honestidade, humildade, tolerância pq estão protegidas por seus projetos sociais, pelo tal do amor ao próximo. é a mesma fuga que a religião proporciona, mais um pouco vira exército... e é por essas e outras que eu não visto uniformes.

cometido pela arale -

mídia-tática-brasil = piada pronta?

não sei até se eu que não entendi a piada, se eles não entenderam ou não houve comunicação no evento midia tática brasil, que rolou esse findi na casa das rosas e em alguns telecentros em sp. só fui na casa das rosas e o que vi foi uma festinha informal, hermética e que não dizia ao que veio. vários eventos rolando, micros com acesso à internet onde os convidados aproveitavam a "ocupação" pra consultar seus hotmails-microsoft ou sandy e junior. em frente a cada instalação, uma plaquinha explicativa que não explicava nada, por usar uma linguagem rebuscada e cheia de conceitos alheios repetidos à exaustão. até onde minha inteligentzia alcança, a idéia de mídia tática é intervir, subverter, usar a mídia "dominante" como ferramenta de questionamento e, principalmente, inclusão digital. mas boa parte do que vi ali não passou de entretenimento-ação-social, uma generosa dose de auto-promoção e o resto networking. sem esquecer a rádio muda, puta idéia genial mas, pelo menos no período que estive lá, continuou muda.

nada contra entretenimento, mas travestir festa em ação social é um pouco demais. micros travados, senhas inexistentes, evento que só foi ficar pronto em cima da hora e com um monte de coisa faltando. moderador de workshop que até um dia antes nem sabia do que se tratava, outdoors doados e que não comunicavam absolutamente nada, feitos na brodagem pelos únicos que fizeram realmente um trampo de comunicação no evento, o povo do porão, a cria.

não acho que issa seja a melhor forma de divulgar idéias (muito boas, inclusive) como cultura e intervenção sociais, inclusão digital, soluções alternativas. isso tudo tem que vir pela comunicação, de qualidade e focada no alvo, porque o que as pessoas precisam é informação, primeiramente.

não sei até que ponto ensinar os moleques a escrever a realidade deles na net é inclusão. inclusão digital pra mim tem que caminhar com inclusão social. trocar e-mails não vai fazer ninguém deixar a miséria, a net tem que mudar a vida dessas pessoas efetivamente. o povo quer arte? quer sim, mas não é burro e gosta de entender os motivos das coisas. e quer comer também. pq não ensinar a programar, a lidar com hardware, pra que esses pequenos serviços possam atender à própria comunidade? isso seria proporcionar alguma independência, ensinar o cara a se virar bem com a tecnologia, a aprender um pequeno negócio, sem depender de grandes empresas. é o terceiro setor interferindo na educação, formando mão de obra qualificada e que vai ter maior poder aquisitivo e de barganha. e maior poder aquisitivo é mais empregos e o blablabla que todo mundo conhece.

chutaram a rede grobo, que foi lá cobrir o evento e não encontrou o evento. sim, o brito jr mandou a organizadora pra putaqueopariu com todas as letras, puta cara grosso. mas não tava errado em querer entender o que ninguém quis explicar. "não entendeu? olhe nas plaquinhas das portas a explicação" (que dizia menos ainda). as pessoas não tem obrigação de saber o que eles não conseguem transmitir, afinal, a responsa da comunicação é de quem emite. tinham recurso, patrocínio de várias entidades, inclusive mistas e o que eu vi foi uma coisa feita às pressas por montes de mudérnONGs se regozijando em boa vontade.

cometido pela arale -

quanto mais penso, vejo que a esquerda festiva nacional é sectária, arrogante e burguesa. hoje me peguei tendo pensamentos rodriguianos a respeito de política, esquerda e direita. me senti uma velhinha sem paciência e cada vez mais cínica com manifestações udigrudis e cabecisses em geral...

cometido pela arale -

 

segunda-feira, março 17, 2003

sol

... mas que dia lindo hoje, não? :P

cometido pela Zel -

maritacas neuróticas

deve ter alguém assim na sua turma (ou pelo menos um amigo do amigo): aquela pentelha ou pentelho que repete discursos alheios. aquele que lê veja, folha de sp ou caros amigos e repete notícia já mastigada. ou pior: que tem amigos mais privilegiados na retórica ou mesmo no intelecto, e fica (como papagaio) repetindo o que ouve, de preferência usando chavões, discursos, frases feitas. fala, fala, fala, e não diz nada. eles geralmente são prolixos e enganam os incautos com discursos cheios de palavras de efeito e/ou termos "da moda". costumam ser bastante engajados nas suas certezas emprestadas, além de completamente fiéis aos mestres (e/ou mídias, quando é o caso), dos quais recebem algumas migalhas. são invariavelmente neuróticos, pois não evoluem nunca (não pensam por si próprios, afinal), entra ano e sai ano e eles são os mesmos. são freqüentemente defensivos, já que não sabem do que estão falando e não conseguem defender pontos de vista com pessoas inteligentes. costumam apelar, nas discussões, para recursos que usam mal, tais como a ironia ou citações medíocres.

e eles se agrupam, é claro. lembram aquelas maritacas em bando, gritando felizes umas para as outras, enquanto nós outros oscilamos entre a vontade de comprar um estilingue e o dar de ombros condescendente de quem aprendeu a suportar a diversidade (mesmo quando ela é mais chata que gilette).

cometido pela Zel -

 
powered by blogger

renata/Female/26-30. Lives in Brazil/sao paulo/sao paulo/bela vista, speaks Portuguese. Spends 60% of daytime online. Uses a Fast (128k-512k) connection.
This is my blogchalk:
Brazil, sao paulo, sao paulo, bela vista, Portuguese, renata, Female, 26-30.