sábado, fevereiro 01, 2003

espalhar o amor é percebê-lo nas menores coisas.

cometido pela arale -

 

sexta-feira, janeiro 31, 2003

fábula agrícola

plantavam e lutavam pelas suas colheitas. ela fazia agricultura de subsistência, cultivava variedades, administrava o tempo e adubava pra que nada faltasse. mas era confusa, esquecia as medidas, preferências e tempos das plantas. não respeitou suas peculiaridades e a horta ficou vazia, assim como ela. quando a fome chegou, destruiu o que restou e começou de novo. adubou, tratou a terra, plantou novamente e esperou por ele, que plantava em grande escala. já tinha colhido muito, mas o que lhe restou era uma terra arrasada, cansada de anos de monocultura e agrotóxicos. quando os primeiros brotos dela nasceram, ele chegou. e não mais sabia o que querer. ela, em seu sonho de latifúndio, percebeu a chance de compartilharem experiências. ele a ajudava a administrar o tempo das coisas, e ela o ajudava a revolver a terra pro recomeço. plantaram primeiro um canteiro, com a dedicação e a esperança dos grandes sonhos. a plantação ainda não estava perfeita, as plantas cresciam devagar e necessitavam de cuidados especiais, mas desse primeiro canteiro tiraram a força pra cuidar dos outros e seguir em frente.


Tocando em Frente
Almir Sater e Renato Teixeira

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe
Eu só levo a certeza de que muito pouco eu sei
E nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs, o sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou

Conhecer as manhas e as manhãs, o sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir

Todo mundo ama um dia, todo mundo chora
Um dia a gente chega, no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
E cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

Conhecer as manhas e as manhãs, o sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história
E cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

cometido pela arale -

fábulas-gorfo

Cinderela estava em casa toda tristonha e cabisbaixa. De repente, eis que surge a fada madrinha:

- O que há, Cinderela? Por que essa tristeza?
- É que hoje é o dia da festa do príncipe no castelo e eu não posso ir, pois estou naqueles dias.
- Ah, Cinderela, incomodada ficava a sua avó - disse a fada madrinha.

Então, empunhando a sua varinha mágica, transformou a abóbora num OB. Explicou como se usava e lá se foi Cinderela toda feliz para a festa no castelo.

À meia-noite, Cinderela morreu...

cometido pela arale -

o show ontem foi maravilhoso. mulheres cantando e tocando percussão são luminosas, sacerdotisas. havia pétalas de flor espalhadas pelo chão e espelhos pendurados por fios em cima do palco. o espaço é o teatro oficina do zé celso, palco de verdadeiras orgias não só de sexo mas de emoção. pessoas lindas e coloridas dançando e batendo palmas, acertando o contratempo, cabelos despenteados. homens e mulheres sorridentes, crianças cheias de energia dançando e brincando, o chão de terra inusitado no meio do asfalto do centro, a bananeira impossível dentro do teatro. dancei e cantei muito. bati palmas e sorri, abracei os amigos, uma vontade de abraçar o mundo! essas pequenas felicidades nos fazem lembrar de como é boa a vida.

*
confesso: ando um tanto dionisíaca. não resisto a tambores e pessoas muito próximas me dão vontade de abraços e pele. os sentidos andam mais aguçados porque -- sim, é uma escolha -- eu assim quis. tato, olfato, paladar, audição, visão. quase esqueço a visão, pois que me senti durante muito tempo olhando e não vendo nada, me dedicando a ver e esquecendo de viver.

*

eu amo a rê e a elaine. formamos um trio estranho, somos muito diversas e acho que isso é o mais divertido e bonito. há bem pouco tempo eu convivia muito mal com a diversidade, com o que é diferente de mim. mas um cybermonge mudou minha vida em muitos sentidos, e eu comecei a ver as coisas diferentes com outros olhos. hoje, amo ainda mais o que é diferente de mim.

cometido pela Zel -

da série boquinhas feias:

boquinha de chupá-rôla












cometido pela ladybug -

simpatia é quase amor

cometido pela ladybug -

da série boquinhas feias:

south park





cometido pela ladybug -

 
powered by blogger

renata/Female/26-30. Lives in Brazil/sao paulo/sao paulo/bela vista, speaks Portuguese. Spends 60% of daytime online. Uses a Fast (128k-512k) connection.
This is my blogchalk:
Brazil, sao paulo, sao paulo, bela vista, Portuguese, renata, Female, 26-30.